sábado, 30 de novembro de 2013

Não nos comove mais a morte de policiais e agentes penitenciários, mas, quem matou a Juíza Patrícia Acioli?

por Luiz Fernando Oderich*

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

COMISSÃO PARA DISCUTIR REGULAMENTO DISCIPLINAR DA PM. Nada se faz, nada se cria nem se transforma.



Vamos tratar de paradigmas que precisam ser quebrados na PM, inclusive alguns já estão consagradas na jurisprudência, mas não na legislação correcional dos militares estaduais. É o caso da não aplicabilidade dos regulamentos disciplinares aos reformados, que podem perder o direito da aposentadoria em função de um desvio disciplinar ou de um crime, explicou Bolsonaro.

O presidente da Alerj, deputado Paulo Melo (PMDB), esteve presente na reunião e afirmou seu apoio à comissão, dizendo que irá levar ao governador Sérgio Cabral as sugestões que forem estabelecidas.
Comissão RDPM/BM

Como assim? Levar ao Governador? A ALERJ pretende fugir do regulamento ditado por Lei?

Os debates são sempre na mesma tecla, mostrando que esta comissão vai se prolongar até as eleições de 2014 sem nenhum efeito pratico senão a propaganda politica de seus membros e presentes nos debates, nada se apresentou de concreto.
Por enquanto é só isso que vejo:


Numero de oficiais presentes na comissão intimida presença e opiniões de praças praças.
Sempre a mesma coisa, regulamento contrastante com a Constituição, que só falta chicotear o policial militar num tronco.
Um corpo jurídico (competência de fato com formação em Direito) dentro da PMERJ talvez fosse uma opção, mas, não a solução. Um corpo jurídico formado por oficiais e praças, fica como está, pois, como foi dito, um Cabo no debate deu sua proposta como se oficial fosse. Temos o corpo de oficiais psicólogos que, a meu ver, nenhum beneficio trouxe, tornando-se mais uma “classe privilegiada” dentro da classe policial militar.
Responder na forma da Lei, sim. Por qual motivo não há esse mesmo ímpeto contra um colegiado composto de oficiais? Como eu disse em outras oportunidades, não há regulamento disciplinar “draconiano” frente a Constituição da República.
Começa-se a confundir a finalidade do trabalho, escala de serviço não é regulamento disciplinar, deve estar normatizada, como é, em outra Norma.
Apresentação da banda de Músicos da PMERJ? Nada a ver, a questão é Regulamento Disciplinar.

Usar o Regulamento Disciplinar para interesse pessoal é abuso de autoridade, tipificado na Lei nº 4898 de 9 de dezembro de 1965.
Art. 1º O direito de representação e o processo de responsabilidade administrativa civil e penal, contra as autoridades que, no exercício de suas funções, cometerem abusos, são regulados pela presente lei.


Volta-se a falar num caso passado, que deveria estar na esfera Judicial por iniciativa do Ministério Público, a Prisão de militares do Estado do Rio de Janeiro em presidio de segurança máxima ao arrepio da lei. Sendo portanto matéria não pertinente neste cenário, já que existe lei normatizando local de prisão de militares e especialmente, de policiais militares.

Tenho comigo documentos demostrando como procedem oficiais que, com abuso de autoridade, despacham sem comprovação elementos prejudiciais ao averiguado. Declaram que o policial não se amoldou à Disciplina da Unidade, mesmo ele já tendo sido elogiado pelo Comando por seus bons serviços prestados. Numa anotação em representação, declaram que foi direcionada ao comandante, como forma de prejudicar seu desafeto, quando na verdade foi uma citação de livro.
Portanto, é contra isso que temos de fazer valer Direitos, punir os infratores da lei.

"O militar que abusa da autoridade ou é um mal intencionado que colima fins diversos do bem público, sendo portanto um agente que atua por dolo; ou é um incapaz, que por desconhecer dos recursos que lhe outorga a administração, por culpa, elege indevidamente os meios e recursos para o alcance dos desideratos da administração castrense, agindo também com abuso de poder." MARTINS, O militar vítima..., p. 31.

Se vê que a não presença dos principais interessados, os quais são as maiores vitimas do Regulamento Disciplinar, os praças, é demonstração de desinteresse. Mesmo se estivessem presentes, não haveria espaço para acomodação de todos. O abuso acontece assim como o furto/roubo, é só dar oportunidade e não combater. Ele se prolifera e, com a rotina de sua ocorrência, passa a ser um direito do "ladrão".

Em pleno século XX ainda havia punições com castigos físicos e as Policias Militares não era exceção neste trato. No caso dos marinheiros, o contato com militares europeus, com trato bem mais civilizado para com a tropa, desencadeou a revolta. Mas os Policiais Militares viviam dentro da realidade brasileira, acomodando-se com as punições que sofriam.

Os anos se passaram e as punições físicas foram não esquecidas, mas abolidas. O que ocorreu depois foi uma serie de ilegalidades em aplicação de punições em que a Defesa nada provava, ficando a pena totalmente sujeita a discricionariedade do Comandante.

Hoje, após 23 anos de promulgação da constituição federal de 1988, a Constituição cidadã, a PMERJ ainda utiliza instrumentos de “tortura”, se não física, mas psicológica. O defendente se não tiver a simpatia do administrador disciplinar dificilmente terá justificada a suposta falta de que foi acusado. Servem-se de instrumentos aplicados na “Ditadura” para aplicar punições e acobertar ilegalidades em sua aplicação, como por exemplo, adulteração de documentos e inserção de afirmações falsas. 

Dificilmente o Praça consegue reverter a situação, pois, os órgão correcionais estão coniventes com a situação e não emitem pareceres sobre o caso acreditando na ignorância do prejudicado em procurar outras instancias. 

A Liberdade do individuo é bem tutelado pela Constituição, não podendo o Estado ofender este Direito, estando sujeito seu autor às penas da lei.

LIV - ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal; 
II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;
V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;
X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;
XXXIV - são a todos assegurados, independentemente do pagamento de taxas:
a) o direito de petição aos Poderes Públicos em defesa de direito ou contra ilegalidade ou abuso de poder;
XXXV - a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito;
XXXVII - não haverá juízo ou tribunal de exceção;
XXXIX - não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena sem prévia cominação legal;
XLI - a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais;


Wagner Montes é Deputado desde 2006 e Flávio Bolsonaro desde 2002. Ambos se apresentam como defensores de militares, em especial Flávio Bolsonaro, que junto com seu pai, Jair Bolsonaro, Deputado federal há vários Mandatos, se dizem defensores dos militares federais e estaduais. Só oportunismo. Jair Bolsonaro, conhecido por suas desavenças polêmicas em Brasília, foge quando a briga é nas ruas, se nega a dar apoio se ele não for o “artista” principal do palco. Aos pedidos de colaborar com carro de som para manifestação por Intervenção Militar, nem sequer uma resposta deu.

Agora, ano eleitoral, voltam suas atenções para o público militar do Estado do Rio de Janeiro com vistas aos seus votos, não ao bem da classe militar. É um processo longo, que demanda tempo, debates e sem fim previsto. Certamente um ótimo argumento para promoção de candidaturas até a época das eleições, OPORTUNISMO. Se quisessem fazer algo, já teriam feito, mas atendem aos políticos do Executivo que não querem perder as rédeas de seus efetivos militares.
rvchudo

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Ministério torna secretos documentos sobre apoio financeiro a Cuba e a Angola

Segundo jornal, BNDES desembolsou US$ 875 milhões em 2012 para financiamento à exportação de bens e serviços de empresas brasileiras para os dois países

        

O GLOBO E AGÊNCIA SENADO
Publicado:9/04/13

RIO — O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, tornou secretos os documentos que tratam de financiamentos do Brasil aos governos de Cuba e de Angola. Segundo reportagem do jornal “Folha de S. Paulo”, a medida foi assinada por Pimentel em junho de 2012, um mês após a entrada em vigor da Lei de Acesso à Informação. Dessa forma, o conteúdo dos documentos só poderá ser conhecido a partir de 2027.

Ainda de acordo com o jornal, somente em 2012, o BNDES desembolsou US$ 875 milhões em operações de financiamento à exportação de bens e serviços de empresas brasileiras para Cuba e Angola. O país africano desbancou a Argentina e passou a ser o maior destino de recursos do gênero no país.

O ministério informou que determinou o sigilo dos documentos porque eles envolvem informações "estratégicas", documentos "apenas custodiados pelo ministério" e dados "cobertos por sigilo comercial". No ano passado, o banco financiou operações para 15 países, no valor total de US$ 2,17 bilhões, mas apenas os casos de Cuba e Angola receberam os carimbos de secreto.

Segundo o ministério também informou à Folha, isso ocorre porque "memorandos de entendimento" entre Brasil, Cuba e Angola que não existiam nas outras operações do gênero. E reconheceu que foi a primeira vez que se aplicou o carimbo de “secreto” em um caso de financiamento como esse.

De acordo com o jornal, a medida abrange quase tudo sobre as negociações entre Brasil, Cuba e Angola, como memorandos, pareceres, correspondências e notas técnicas. Mas há informações públicas e falas da presidente Dilma que dão pistas sobre o dinheiro do financiamento.
Em janeiro em Havana, Dilma disse que o Brasil bancava boa parte da construção do Porto de Mariel, executada pela empreiteira Odebrecht. E afirmou ainda que o Brasil financiava por meio de um crédito rotativo, US$ 400 milhões de compra de alimentos do Brasil para Cuba.

Em 2011, em Luanda na Angola, Dilma falou que "os mais de US$ 3 bilhões disponibilizados pelo Brasil fazem de Angola o maior beneficiário de créditos no âmbito do Fundo de Garantias de Exportações" do BNDES.

De acordo com a “Folha de S. Paulo”, a Odebrecht aproveitou uma viagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Cuba para impulsionar a discussão sobre a reforma de dois aeroportos da ilha, negócio avaliado em 175 milhões de dólares, que deve ser fechado nas próximas semanas. Um financiamento do BNDES para a obra também está sendo negociado.

“Esse é o desejo do povo brasileiro: saber onde está sendo aplicado o dinheiro do imposto pago com tanto sacrifício”


Nesta terça-feira o senador Alvaro Dias cobrou explicações sobre os documentos tornados secretos.
— Como explicar esse procedimento? Esse é o desejo do povo brasileiro: saber onde está sendo aplicado o dinheiro do imposto pago com tanto sacrifício – disse.
O senador contou também que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está exigindo a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar esses financiamentos.

Dias também sugeriu que as viagens do ex-presidente Lula ao exterior a serviço de empreiteiras de obras públicas poderiam estar por trás dos empréstimos secretos.
Interesses privados à sombra do interesse público para benefícios pessoais – falou o senador.


ACIDENTE EM ITAQUERÃO: PRIMEIRAS IMPRESSÕES

                                               Foto: Estado de São Paulo

Acidente no Estádio Itaquerão, que seria a sede da Abertura da Copa de 2014.
A peça de 500 toneladas estava sendo instalada por um guindaste, no setor leste, e tem cerca de 15 metros. Era a última peça da cobertura do Itaquerão e desabou de um guindaste por volta das 12h50min desta quarta-feira, destruiu parte da arquibancada do futuro estádio do Corinthians e deixou 2 operários mortos. Abaixo, as primeiras impressões sobre o acidente em entrevista com o Eng de Segurança Amaro Walter, de São Paulo.
PRIMEIRAS IMPRESSÕES
Eng.  Mecânico
Eng de Seg Amaro Walter
ENTREVISTA 
Prof. Amaro Walter,
Eng de Segurança, Coord Seção Hardware (Revista NRFACIL)
NRFACIL – Eng Amaro, quais seriam as primeiras providências neste caso?
Um especialista em Gerenciamento de Riscos falava sobre o assunto da queda do guindaste. O repórter quis saber se as obras poderiam ser retomadas ao que o especialista disse que nesses casos o MPT Ministério Público do Trabalho) intervém e isola a área para que sejam feitas as perícias e só após isto é que poderá ser liberada para continuação. Foi divulgado que o Ministério Público já havia identificado cerca de 50 irregularidades na obra.
NRFACIL – Algum órgão técnico já se pronunciou a respeito?
Eng Amaro Walter - De acordo com a Defesa Civil, pode ter ocorrido um erro de procedimento durante o içamento do módulo que cedeu, e que poderia ter havido relação com um erro de manobra do guindaste ou por causa do peso da estrutura que estava sendo içada. Informaram também que a construtora descartou o afundamento de solo.
NRFACIL – Os trabalhadores pressentiram algo errado antes do acidente?
Eng Amaro Walter – Há uma informação discordante da construtora pois os os trabalhadores disseram que haviam presenciado um afundamento de solo devido à erosão provocada pelas fortes chuvas dos últimos dias. Tudo será periciado e, se for realmente verdade que isto já ocorrera haverá uma carga muito grande de culpa por parte da administração das obras. Será verificado na perícia se houve afundamento do solo no local do patolamento do guindaste; se houve imperícia do operador e outras possíveis causas.
NRFACIL – Não teria sido por excesso de carga?
Eng Amaro – Parece que já descartaram totalmente a possibilidade de excesso de carga, pois ele caiu sem carga alguma. Teremos que aguardar o resultado das perícias, pois o assunto é muito recente para emitirmos uma opinião final. Aguardemos!.

Fiquem atentos, vão destruir a FAMÍLIA como a conhecemos.

Como se não bastasse os diversos escândalos difundidos na ultima década, o golpe mortal está para ser dado. Seremos todos transformados em simples “FILHOS DA PUTAS”.

Essa é a proposta que a Sen. Marta Suplicy vem propor. Quem acha que está certo, apague a matéria e fica por isso mesmo, mas se não concordar, faça como eu, repasse!!!
PEC elaborada pela OAB?!!!
- Acabar com a família tradicional
- Retirar os termos “pai” e “mãe” dos documentos
- Acabar com as festas tradicionais das escolas (dia dos pais, das mães)
para “não constranger” os que não fazem parte da família tradicional – A partir de 14 anos, os adolescentes disporão de cirurgia de mudança de sexo custeada pelo SUS
- Cotas nos concursos públicos para homossexuais etc…
“A senadora Marta Suplicy (PT-SP) elogiou a Proposta de Emenda Constitucional (PEC), elaborada pela Comissão Especial de Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que quer ampliar privilégios a indivíduos viciados em práticas homossexuais.

A senadora acredita que, estrategicamente, será importante aprovar primeiro o PLC 122/2006, pois sua tramitação está mais avançada, tendo já sido aprovado sorrateiramente na Câmara dos Deputados e restando apenas a votação no Senado. O segundo passo, na avaliação de Marta, é apresentar a PEC, que é uma matéria mais ampla e complexa. “A PEC é bem mais difícil de aprovar. Então, vamos começar com a homofobia e avaliar o momento adequado para fazer uma PEC com essa amplitude, que é realmente o sonho que nós gostaríamos para todo o País”, explicou a senadora à agência do Senado.
O Estatuto da Diversidade Sexual conta com 109 artigos, que alteram 132 dispositivos legais. O Estatuto criminaliza a fobia, reconhece o direito à livre orientação sexual e iguala os direitos fundamentais entre heterossexuais e LGBTs.

Entre outros tantos, cito alguns, o restante veja no link : Entenda

Retirar o termo PAI E MÃE dos documentos:
Título VI, Art. 32 – Nos registros de nascimento e em todos os demais documentos identificatórios, tais como carteira de identidade, título de eleitor, passaporte, carteira de habilitação, não haverá menção às expressões “pai” e “mãe”, que devem ser substituídas por “filiação”. Essa lei visa beneficiar diretamente os ajuntamentos homossexuais desfigurados tratados como família. Para que as crianças se acostumem com “papai e papai” ou “mamãe e mamãe”, é preciso eliminar da mente delas o normal: “papai e mamãe”.
Começar aos 14 anos os preparativos para a cirurgia de mudança de sexo aos 18 anos (pode começar com hormônios sexuais para preparar o corpo):
Título VII, Art. 37 – Havendo indicação terapêutica por equipe médica e multidisciplinar de hormonoterapia e de procedimentos complementares não-cirúrgicos, a adequação à identidade de gênero poderá iniciar-se a partir dos 14 anos de idade.
Título VII, Art. 38 – As cirurgias de redesignação sexual podem ser realizadas somente a partir dos 18 anos de idade.
Uso de banheiros e vestiários de acordo com a sua opção sexual do dia: (?)
Não é permitido deixar de ser homossexual com ajuda de profissionais nem por vontade própria
O Kit Gay será desnecessário, pois será dever do professor sempre abordar a diversidade sexual e consequentemente estimular a prática:

Contos infantis que apresentem casais heterossexuais devem ser banidos se também não apresentarem duplas homossexuais travestidas de “casais:

Um site de pedófilos brasileiros onde há uma indicação com louvores para a leitura da crônica “Meu Moleque Ideal”, de autoria do Professor Luiz Mott.




Descobri que os pedófilos identificam a si mesmos como “homens que amam meninos”. A repulsa que experimentamos diante da idéia de crianças serem atraídas, enganadas e usadas sexualmente por adultos, eles chamam depreciativamente de “pânico moral” ou de “histeria da opinião pública”. O Doutor Luiz Mott provê adiante uma amostra exemplar do que exatamente estes “amantes de ‘moleques’” estão falando ao se referirem a “amor”.

No meu caso, para dizer a verdade, se pudesse escolher livremente, o que eu queria mesmo não era um “homem” e sim um meninão. Um “efebo” do tipo daqueles que os nobres da Grécia antiga diziam que era a coisa mais fofa e gostosa para se amar e foder.
Assim é como imagino meu moleque ideal: pode ser machudinho, parrudo, metido a bofe. Pode ser levemente efeminado, manhoso, delicado. Traço os dois! Tendo pica é o que basta: grossa ou fina, grande ou pequena, torta ou reta, tanto faz. Se tiver catinguinha no sovaco, uma delícia! Se for descarado na cama e no começo da transa quiser chupar meu furico, melhor ainda. Sem pudor, sem tabu.

Ah, meu menino lindo! Se você existir, se você algum dia me aparecer, que seja logo, pois quero estar ainda com tudo em cima e dar conta do recado, pois do jeito que quero te amar e que vamos foder, vou precisar de muito mocotó ou viagra para dar conta do rojão....".

Declarações de Luiz Mott registradas em Meu Moleque Ideal

Paro por aqui, fiquei enojado. Se quiser, continue. Link: Pedofilia


                                                                                                    Oito anos



Qua, 27 de Novembro de 2013 02:52

Ontem à noite, no programa Sexualização nas escolas, nossa entrevistada, a psicóloga e psicanalista Rejane Soares, relatou o episódio vivido por suas duas filhas em uma das mais renomadas escolas católicas de Belo Horizonte - MG. As meninas foram submetidas a uma aula de educação sexual perturbadora, para dizer o mínimo.


     Abaixo, complementando a entrevista, publico algumas das fotos que Rejane mo enviou antes de gravarmos a entrevista, para que eu visse sobre o que ela se referia. ADVIRTO: AFASTEM AS CRIANÇAS DE PERTO DO COMPUTADOR. As imagens são "fofinhas" porque o estilo é infantil, mas o conteúdo não é.

Subversão total da autoridade: os pais na cadeira dos réus, as crianças julgando e a professora dando a sentença.

                                                                           Sutil, não?



  Restam dúvidas sobre as intenções do governo com tais cartilhas?

      Repito aqui o que disse no programa (e vou um pouco além): a exposição precoce das crianças a tais conteúdos nada mais é do que o outro lado da moeda que defende a descriminalização e legalização da pedofilia. Ou seja, pretende-se forçar um despertamento sexual cada vez mais cedo para que, quando a pauta pedófila prevalecer, as crianças já não tenham mais a menor chance de proteção e defesa: nem da lei, nem da cultura, nem dos pais, nem mesmo dos seus próprios sentimentos de estranhamento e rejeição, pois já terão sido expostas a um conteúdo com o qual não possuem condições psíquicas de lidar e diante do qual não conseguem resistir.


      Meu recado aos pais que têm filhos na escola: fiquem de olho! E demonstrem aos professores e coordenação que estão de olho! Conversem com os outros pais, troquem informações, convivam, tomem iniciativas juntos. Peçam as listas de livros que serão adotados no ano seguinte, pesquisem antes, intervenham, façam outras propostas quando as que a escola oferecer não forem boas. Enfim, não deixem a coisa correr à revelia! Cheguem junto! E se a coisa piorar e não houver chance de mudança da situação, exijam que as crianças sejam dispensadas da aula. E se nada disso resolver, o homeschooling está aí para isso.
Isto, caríssimos leitores, é o que a Ordem dos Advogados do Brasil e uma boa porção de nossos parlamentares, bem como a totalidade das organizações paragovernamentais LGBT, desejam para nosso País: a desconstrução da família, o alicerce da sociedade. Caso o Estatuto da Diversidade Sexual, esse folhetim de natureza inegavelmente inconstitucional e imoral, chegar a ser aprovado, o potencial efeito desagregador que isso terá no Brasil será algo inimaginável. Se a situação está crítica agora, ela será um sonho idílico comparado com o que está por vir.

Fotos da Manifestação contra a PLC 122.




Ligue no Alô Senado (0800 61 22 11) e peça o ARQUIVAMENTO do PLC122 - isso é o exercício de sua cidadania!

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Um nome bem brasileiro, TUCANO. Turma EPCAr 75 na historia

Publicação da época

A partir de agora o novo avião turboélice de treinamento militar da EMBRAER – Empresa Brasileira de Aeronáutica S/A – até então conhecido por sua designação militar T-27, passa a ser designado também por “TUCANO”. A escolha deste nome foi feita através de um concurso de sugestões realizado junto aos cadetes da Academia da Força Aérea, em Pirassununga, onde irá operar a partir do próximo ano.

A sugestão vitoriosa partiu do Cadete do 4º ano Carlos Fernando de Souza Panissa, um mato-grossense que, ao ver pela primeira vez o avião, associou imediatamente as suas linhas as da ave brasileira que costumava encontrar nas cercanias de Campo Grande, sua Cidade natal.

MODIFICAÇÕES INCORPORADAS
Após o voo inaugural do primeiro protótipo do BEM-312 (T-27), em 19 de agosto de 1980, algumas modificações foram incorporadas à aeronave, na sua maioria para fornecer maior facilidade na manutenção e operação do aparelho, resultando também no aumento de sua eficiência.

Uma das modificações mais importantes incorporadas ao T-27 foi a adaptação de um novo mecanismo de equilíbrio do “canopy” (capota), facilitando de um modo geral, a operação de abertura e fechamento da mesma. Também foram introduzidas novas janelas de inspeção e manutenção.


O TUCANO sofreu também modificações nos comandos de voo, no sistema de controle do grupo moto propulsor (conjunto de manetes) e no sistema de ar condicionado, tendo ainda sido inserida uma barbatana dorsal junto a deriva.

Boa tarde, Coronel Panissa.
Sou o 2º Ten. Lemos, oficial de comunicação social da AFA. Por meio do Coronel Gabriel nós obtivemos o contato do senhor.
Primeiramente, gostaria de lhe pedir a gentileza de informar seu endereço, pois gostaríamos de lhe enviar um convite para o Aspirantado que acontecerá no dia 06/12. Na ocasião, exibiremos pela primeira vez ao público uma aeronave T-27 Tucano com pintura comemorativa alusiva aos 30 anos de emprego, com um sobrevoo da aeronave e exposição estática. O senhor é peça fundamental nessa história, sendo responsável pelo batismo dessa aeronave de importância inquestionável a FAB e ao país e nos daria a honra em presenciar esse lançamento.
Se possível, gostaria de pedir ao senhor um depoimento a respeito do Tucano. Se puder, lhe peço para falar um pouco do motivo do nome; como foi a entrega que o senhor presenciou em 1981; as lembranças que tem do dia e importância do T-27 que o senhor enxerga para o Brasil. Seria um texto curto, de poucas linhas, mas fique à vontade. Peço isso, pois estou colhendo depoimentos de militares ligadas ao Tucano, pois as utilizaremos para divulgar à imprensa. Se o senhor puder fazer isso, peço a genitleza de informar também o seu nome completo para constar no material entregue à imprensa.
Grato.
Respeitosamente,
Marcus Vinícius Costa LEMOS 2º Ten REP
Seção de Comunicação Social
Academia da Força Aérea

Coronel Panissa, como o Cadete Panissa que nomeou a aeronave, é o aluno EPCAr 75 Panissa, atleta em grandes competições internas e externas pela Força Aérea Brasileira.

Turma EPCAr 75, Turma Impar, de Amizade sem Par. Sempre muito bem representada.
             Coronel Panissa, ao fundo, de abrigo olímpico, o Cadete que batizou o T-27 com o  original nome, TUCANO.


Recordar é viver

‘O PT aprofundou o processo de desmoralização da política’, acusa Villa. Ser ‘amigo do rei’ nunca foi tão importante para o sucesso


RODRIGO CONSTANTINO
Publicado: 

Espionagem, serve para isso !!!

Entendeu porquê os Petistas estão arrancando as calças pela cabeça, por causa "duzamericanus??? 


Espionagem dos EUA pode revelar que negócios secretos de petralhas com ditaduras escondem "mensalão".

A petralhada interpretou como um recado velado de que vem bomba escatológica contra Luiz Inácio Lula da Silva a publicação ontem, pelo jornal O Globo, com direito a chamada de primeira página, de um artigo do jornalista José Casado, com o título “Segredos Bilionários”. O texto denuncia e protesta contra o fato de o Brasil já ter dado uns US$ 6 bilhões em créditos públicos aos governos de Angola e Cuba, cujos ditadores são parceiros (ideológicos e de negócios) de empresas e pessoas ligadas ao governo petista.

O que o artigo de O Globo não pode revelar é que os negócios de Lula com Angola e Cuba já são alvo do pente fino da espionagem (ilegal ou não) norte-americana – amplamente divulgada pela imprensa. A maior suspeita dos EUA é que os recursos investidos nas ditaduras promovam uma forma refinada do “Mensalão”. As transnacionais brasileiras, beneficiadas lá fora com a grana secreta da corrupção, fazem o chamado “draw back”, às escondidas, de uma polpuda comissão do dinheiro desviado para os esquemas petralhas.

O dinheiro desviado das negociatas com ditaduras pode ser distribuído das mais variadas formas. Diretamente lá fora, em negócios que a petralhada têm nos países beneficiados. Em algumas situações, como no caso de Angola, as comissões de corrupção são pagas com um ativo de fácil negociação no mercado internacional: diamantes. O risco que os corruptos correm é serem facilmente identificados na hora de vender as joias – geralmente negociadas em Amsterdã e Antuérpia, em operações rigidamente controladas pelos judeus.

A distribuição do dinheiro da corrupção também diretamente, em contas secretas mantidas pelos beneficiados diretos, por “laranjas” ou pelas empresas envolvidas em paraísos fiscais (o que é uma operação facilmente rastreável e de alto risco). Neste caso, a grana volta ao Brasil, lavadinha, disfarçada de “investimentos estrangeiros diretos”. Quando é internalizado no País, o “mensalão” é redistribuído aos esquemas de politicagem. Nada disso O Globo teve (ainda) condições de informar...

O artigo, publicado estrategicamente ontem como uma espécie de recadinho das Organizações Globo aos ataques petistas que vem sofrendo na área fiscal, aponta para o lado escandaloso das relações com Angola, de José Eduardo Santos e seus filhos: “Supõe-se que a maior fatia (US$ 5 bilhões) esteja destinada ao financiamento de vendas de bens e serviços para Angola, onde três dezenas de empresas brasileiras mantêm operações. Isso deixaria o governo angolano na posição de maior beneficiário do fundo para exportações do BNDES. O restante (US$ 1 bilhão) iria para Cuba, dividido entre exportações (US$ 600 milhões) e ajuda alimentar emergencial (US$ 400 milhões)”.

Escandaloso é o fato de o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, há 15 meses, ter classificado como “secretos” os acordos com as ditaduras, bem citadas por José Casado, de: José Eduardo Santos (Angola), Raul e Fidel Castro (Cuba), Robert Mugabe (Zimbabwe), Teodoro Obiang (Guiné Equatorial), Denis Sassou Nguesso (Congo-Brazzaville), Ali Bongo Odimba (Gabão) e Omar al Bashir (Sudão). Mais grave ainda, segundo Casado, é que os brasileiros estão obrigados a esperar mais 14 anos, ou seja, até 2027 para ter o direito de saber como seu dinheiro foi usado em negócios bilionários e sigilosos.