sábado, 30 de abril de 2016

Agência DETURPA fala de Comandante do Exército e este não exige direito de resposta ou pede retratação.

O site da Força Aérea curiosamente republicou notícia da Agência Brasil que deturpava fala do Comandante do Exército sobre a revolução de 1964.
A referida rede, que é controlada pelo governo federal, atribuiu ao general a seguinte fala:

“Villas Bôas disse que a intervenção militar de 1964 foi um erro das Forças Armadas”


Das duas uma, ou foi falha infantil de interpretação ou foi falha de caráter, pois qualquer pessoa alfabetizada pode perceber que em nenhum momento Villas Bôas disse que os militares teriam errado quando implementaram a ação que teria evitado o Brasil de se tornar um país comunista.
O general disse que nos anos 70 e 80, portanto depois do “start” da revolução redentora de 1964, o Brasil errou ao permitir que a linha da guerra fira nos atingisse, partidarizando mais ainda o nosso país.
Sua fala foi exatamente: “Nos governos militares nas décadas de 70 e 80, nós cometemos um erro, nós permitimos que a linha da Guerra Fria nos atingisse e o país que vinha num sentido de progresso, perdeu a coesão
Ora, se a Rede Brasil deturpou informações importantes e, no mínimo, divulgou uma interpretação totalmente equivocada em um canal direcionado à sociedade brasileira e não exclusivo à militares, seria importante que o Comandante do Exército se dirigisse à sociedade brasileira para desmentir as falsas informações e não somente a seus colegas de turma.
Eis a carta de Villas Bôas para seus “colegas de turma”. Divulgada em vários sites e redes sociais

“Fiz uma palestra na UNICEUB em Brasília, que está disponibilizada na \internet. Durante o debate, no contexto de uma pergunta, eu disse que o Brasil precisa recuperar a coesão interna, perdida por termos cometido o erro de haver deixado a linha de fratura da guerra fria passar por dentro da nossa sociedade, fazendo com que nos dividíssemos. A conseqüência é que hoje ninguém pensa no país e que a questão nacional nunca está presente nas discussões e no que se projeta para o futuro. Em relação a isso, a rede Brasil de notícias (do governo) editou uma matéria dizendo que eu havia criticado a Revolução de 64. Logicamente, está repercutindo e causando compreensível indignação entre alguns companheiros da reserva. Como nos conhecemos todos, seria desnecessário, entre nós, de 73, fazer esse esclarecimento. Peço contudo que me ajudem a neutralizar essa divulgação, principalmente nesse momento em que nos consolidamos como balizadores dos processos em andamento”

Robson A.DSilva - Sociedade Militar 

Nenhum comentário:

Postar um comentário