quinta-feira, 15 de junho de 2017

13 navios com 1,8 milhão de imigrantes é naufrágio!

No Brasil tivemos várias imigrações significativas, com destaque para os alemães, japoneses e italianos. Todos trouxeram grandes contribuições na área rural com suas técnicas aqui desconhecidas. Cidades foram fundadas e o progresso aconteceu.

Imigrante Japonês trabalhando

Em momentos críticos que o Brasil passou, como a 1ª e 2ª Guerra Mundial, imigrantes passaram a ser vistos com desconfiança, já que Itália, Alemanha e Japão faziam parte do Eixo, que foi a união de países totalitaristas.
Mas apesar das guerras, nossos imigrantes conseguiram restaurar a harmonia existente até os dias atuais e hoje, brasileiros já o são.

Imigrante Italiano trabalhando.

Mas uma imigração na proporção da que está em vias de acontecer atualmente assusta, cerca de 2.000.000 de muçulmanos vindo para o Brasil, isto representa 1% da população nacional e, dependendo de onde se estabeleçam, certamente adquirirão o controle local.

Imigrante Alemão trabalhando

Em matéria recente, o Jornal Estadão publicou que a Europa, arrependida de ter recebido esses “refugiados”, pagariam para que países latinos, como o Brasil, os recebessem em suas terras. Conhecendo bem a índole dos nossos políticos, é bem provável que esse “negócio” tenha sido concretizado. A Lei de migração é um sinal disso.

Onde os "refugiados" islâmicos estão trabalhando?


O Reino Unido anunciou que vai pagar para que refugiados deixem a Europa e se instalem na América Latina e na Ásia. A proposta foi apresentada pela primeira-ministra britânica, Theresa May, durante a cúpula da Europa em Malta. O Estado apurou com fontes dos serviços de refugiados da ONU que o Brasil seria um dos países escolhidos para reassentar parte desses refugiados.

E, além das benesses governamentais, os estrangeiros poderão votar em eleições municipais e quem vota pode se candidatar. Um perigoso espaço que está sendo aberto para num futuro ser ampliado.

Em nenhuma das imigrações ocorridas no Brasil imigrantes tiveram tantos benefícios, os alemães, italianos e japoneses tiveram que “ralar” muito em sub empregos para, com suas economias, adquirirem terras as quais tiveram que desbravar e iniciar seus cultivos.


Já os imigrantes muçulmanos, já os vemos aqui, pelas áreas nobres das cidades, hospedados em hotéis de luxo, à espera da raia miúda que chegará aos milhões para executar a ocupação territorial com nosso dinheiro.


Quanto à “informação” que circula nas redes sociais de que 1,8 milhão de imigrantes refugiados vindos da Europa, por si só se mostra impossível, já que nenhum navio comporta uma média de 138.000 passageiros.

A mensagem tem sido compartilhada por grupos que se opõem à nova Lei de Migração, sancionada em maio pelo presidente Michel Temer.

Mas é certo que virão! Nossos políticos se articulam para isso, já que com o conhecimento que as redes sociais proporcionam, não terão eleitores para reempossá-los no poder. O cenário está sendo montado aos poucos, para que seja imperceptível aos olhos menos atentos.

Por Allah! É melhor você dizer que o islam é uma religião da paz. Ou eu vou matar você!

Por fim esperamos que esses imigrantes contribuam para o crescimento nacional, assim como fizeram outras importantes imigrações, que embora mantivessem suas culturas, se amoldaram às nossas.



2 comentários:

  1. Fiz este cálculo também.
    Mas,tem que barrar está gente e mandar de volta

    ResponderExcluir
  2. É lógico que se for verdade sempre falaram que é mentira afinal mentir ainda é o melhor negócio!

    ResponderExcluir