quarta-feira, 14 de junho de 2017

Não queiram que a maioria dos policiais passem a pensar assim.

Eu, de folga, observava atento quando o algoz se aproximara da pobre vítima.


O meliante sacou a arma e anunciou o roubo.
Logo que vi, meu tirocínio de policial me mandou agir, PORÉM, lembrei do Ministério Público, da sociedade que me condena, da minha família que espera por mim, quando decidi NÃO agir. 
A pobre mulher assustada nem tentou reagir ao assalto e sequer teve reação.

O bandido (vítima da sociedade opressora), sem motivos e mesmo em posse do bem, disparou contra a p
obre mulher, tirando-lhe não somente a vida, como também os sonhos dela. A pobre coitada já caiu desfalecida, o ladrão levou sua moto, a vida e os sonhos daquela mulher. 
Não reagi, liguei 190 "e passei a bomba para quem tava de serviço", afinal, é isso que o estatuto determina que eu faça.
Fui para minha casa, fui recebido por minha esposa e filhos.

O Ministério Público não alegou que eu fui truculento ao reagir ao roubo praticado por uma pobre vítima da sociedade que roubara para comer, a OAB não emitiu nota em meu desfavor, minha arma não ficou apreendida para perícia, não gastei minha munição (que custa 10 reais cada), comissão de direitos humanos não emitiu depoimento contra mim e a mídia lixo sequer noticiou a morte da pobre inocente vítima de latrocínio, pois isso não dá ibope, o que dá ibope é polícia matando vítimas da sociedade (bandido). 
Eu estava lá, mas foi como se não estivesse.

O PROBLEMA SERÁ QUANDO TODO POLICIAL COMEÇAR A AGIR ASSIM. 
Aí o caos se instaurará, e o leviatã verdadeiramente aparecerá !
Desabafo de um profissional que faz parte da instituição que quando perto incomoda e quando longe faz muita falta:
O POLICIAL

(Autor desconhecido)

É o fim dos tempos, a instauração do caos começou! 
#AcordaBrasil

Essa é a realidade cada vez mais próxima de você, um fuzil e uma .30 livremente ao alcance de sua cabeça.
A sociedade está escolhendo seu destino, permitindo que instituições aparelhadas sufoquem o serviço policial, não deixando alternativa que não seja a omissão para que consiga viver em paz, vivo e cuidar de sua família. Ficam inertes enquanto assistem milhares de pessoas sendo assassinadas diariamente, só atentando para a realidade quando um dos seus é a vítima. Ai, posam na entrevista como defensores da justiça, a exigindo para si e esquecendo-se que, enquanto não foi consigo "cagava e andava".

Nenhum comentário:

Postar um comentário