sábado, 3 de junho de 2017

O rombo de Cabral e Júlio Lopes e a revolta na favela

Manifestação dos moradores da Rocinha pela reabertura da biblioteca

JB - ComunidadeDavison Coutinho
Uma cidade falida, a cada dia com mais desempregados, servidores com seus salários atrasados, hospitais e escolas abandonados, bibliotecas e centros culturais fechados, guerras nas comunidades, violência pela cidade, com gente doente morrendo, gente morrendo de fome... Se para população pobre o estado proporcionou o caos e a miséria, para um grupo de corruptos participantes do governo Cabral, o estado os enriqueceu ainda mais. 

Em meio a uma crise que atinge os cariocas e todos brasileiros, a justiça bloqueou R$ 3,1 bilhões de Sérgio Cabral e outros réus por suspeita de fraude nas obras da linha 4 do metrô do Rio. Na denúncia do Ministério Público que apura irregularidades nos contratos, consta que além do ex-governador, o ex-secretário de Transporte e deputado federal Júlio Lopes, e o ex-subsecretário de Turismo, Luiz Carlos Velloso, integram o “Núcleo de Administração Superior” no esquema. 


Delinquentes ou não, esses senhores saquearam e faliram a nossa cidade. Como esses senhores acumularam riqueza de tamanha grandeza?
A família de um dos acusados faliu e, “coincidentemente”, o cartório que fazia o processo de falência pegou fogo, acabando com todos documentos. Esse senhor não poderia ter toda essa fortuna.

Outro deles tem vários processos de dívidas na Secretaria de Transporte e era o secretário de Transporte quando o bondinho de Santa Teresa tombou, deixando mortos e feridos. Além disso, é vizinho da Rocinha, mora com todo luxo em São Conrado, muito diferente da comunidade vizinha, onde os moradores sofrem com o abandono e protestam pela reabertura da biblioteca Parque, fechada pelo atual governo, devido à crise que eles mesmo deram origem. Como ele pode ter acumulado toda essa fortuna?
O Brasil carrega 24 milhões de desempregados (IBGE,2017) e esses senhores continuam a fazer fortunas às custas das vidas dos trabalhadores. 
A Rocinha não vai sossegar com tamanha injustiça! Vamos pra rua!
* Davison Coutinho, morador da Rocinha desde o nascimento. Bacharel em desenho industrial pela PUC-Rio, Mestre em Design pela PUC-Rio, membro da comissão de moradores da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, professor, escritor, designer e liderança comunitária na Comunidade 

Nenhum comentário:

Postar um comentário